Quaresma, devemos respeitar?

 

A dúvida sobre o funcionamento dos terreiros de umbanda durante o carnaval e quaresma, vem da época que os orixás eram proibidos de serem cultuados e deveriam ser sincretizados com os santos católicos.
Como o período da quaresma corresponde a uma época de reclusão e reflexão dentro da igreja católica, muitos terreiros de umbanda e candomblé optavam por não criar atritos junto a comunidade católica e fechavam suas portas.
Para não ter problemas com as autoridades locais e com as pessoas em geral, era preferível fechar ou poderiam ser acusados de desrespeitosos com a religião católica.
As pessoas consideravam que as casas de santo não deveriam bater tambores ou praticar qualquer ritual na quaresma.
A exemplo da igreja católica que deixa suas imagens cobertas por mantos de cor roxa em sinal de respeito na quaresma, onde os cristãos se recolhem em oração e penitência para preparar o espírito para a acolhida do Cristo Vivo.
Mas devemos lembrar que estes são rituais católicos e não pertencem a religião umbandista, portanto não precisamos nem devemos respeitá-los.
A quaresma para nós vai marcar apenas o final do ano litúrgico na umbanda, com a chegada da semana santa e da páscoa.
Penso que os terreiros não precisam parar suas atividades durante a quaresma e podem funcionar normalmente.
Este é um período de carência, necessidade e muita instabilidade espiritual para muita gente e parar os atendimentos espirituais nessa ocasião não é boa ideia, pois é quando muitos mais precisam.
Certos terreiros de umbanda tem preferencia por trabalhar apenas com Exús e Pombagiras na quaresma; outras casas preferem trabalhar com os Pretos Velhos e Caboclos, isso vai depender da linha de trabalho espiritual seguida em cada casa de santo.

Um outro fator que com certeza contribuiu e muito para a introdução de alguns hábitos católicos em nossa umbanda, foi o fato de que os negros eram proibidos por seus “donos” a praticarem a religião de seus antepassados e assim sendo, primaram pelo sincretismo cristão.
Mesmo em meados do século XX, ainda era comum a polícia perseguir os templos de umbanda e candomblé, ocasião em que prendiam todos que se encontravam naquele local, então, os sacerdotes e sacerdotisas continuaram a manter o culto da quaresma como forma de mostrar uma “submissão” ao cristianismo, afastando assim a idéia de culto demoníaco, que erroneamente se tinha de nossa religião.
Hoje, com o avanço das leis, muitas casas, aboliram esse ritual, e sendo assim, podemos até mesmo ver saídas ou obrigações de santo durante os quarenta dias que se seguem após a folia.
Se esse ou aquele está certo ou errado, não me compete dizer, apenas posso afirmar que, se cultuando ou não a quaresma, o que realmente importa é que sigamos fielmente as orientações dos nossos guias, aqui na T.U.O.D,trabalhamos normalmente no período de quaresma não nos importando com os ritos e nem com a liturgia expressas por outras denominações.
Não nos importa o ritmo de cada casa ou de seu sacerdote, 0 que importa realmente, é que sejamos fiéis à casa que nosso Orixá escolheu, pois ele com certeza sabe o que é melhor para seus filhos praticantes.
O mais importante que ensinamos aqui em nossa casa é que a umbanda jamais irá proibir seus filhos de se divertirem no carnaval, desde que observados os devidos cuidados que constam em nosso regimento.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.