Calendário de Junho

Já está disponível nosso calendário de Junho/2022.

Caso queira conhecer nossos trabalhos, ou entender um pouco sobre o culto de umbanda, recomendamos que venha aos nossos giras que acontecem quinzenalmente ao sábados com início ás 16:00.
Estamos disponibilizando até 60 vagas na assistência para que se preserve um adequado distanciamento social.
Caso queira se consultar com entidades espirituais, atendemos ás segundas feiras com Preto Velho (Assuntos espirituais, desenvolvimento mediúnico, saúde e demais orientações) , e na última quinta feira do mês (mensalmente) com Exú (Assuntos profissionais, jurídicos e financeiros)
Não tratamos de assuntos amorosos ou desavenças familiares em nossa casa, evitamos quaisquer assuntos de origem física, não trabalhamos com cartas, tarô, reiki, borras, baralhos, búzios ou qualquer outra prática quiromante não condizente com a umbanda.
Não cobramos consultas, trabalhos ou quaisquer procedimentos espirituais em nossa casa, apenas lhe requisitaremos os aviamentos necessários para seu procedimento espiritual.
Para você ser atendido (a) basta vir á nossa recepção nos dias mencionados á partir das 18:00, se cadastrar em nosso sistema e pegar sua senha para atendimento particular, atendemos sempre as 10 primeiras senhas e não as reservamos previamente em hipótese alguma.

snlu

Salve a nossa linda Umbanda!

Muitas pessoas procuram uma casa de Umbanda para pedir auxílio ou para buscar soluções fáceis para problemas e situações que facilmente poderiam ser resolvidas através de simples mudanças de hábito em suas vidas.
Na maioria dos casos, quando analisamos as dificuldades apresentadas por um consulente, sejam assuntos de trabalho, de relacionamento amoroso, de convívio social ou até mesmo familiar, verificamos que muitas vezes estes problemas decorrem de atitudes, posturas e posicionamentos do individuo frente à realidade que o cerca.
Sempre é mais fácil culpar alguma coisa ou alguém do que admitir suas próprias falhas e fraquezas …
A religião, que deveria servir apenas como um mecanismo de aprimoramento e desenvolvimento do individuo, passou a se transformar numa especie de balcão de pedidos, onde sempre prevalece a condição do menor esforço.
Por exemplo, se quero um bom emprego para vencer na vida , em vez de estudar, me sacrificar, ralar muito e me preparar adequadamente para isto, eu peço aos guias que me ajudem na tarefa de conseguir prá mim um bom emprego, delegando á eles a responsabilidade do meu sucesso.
Se não arrumo uma pessoa para me relacionar ou quero conquistar alguém e não consigo, em vez de olhar prá mim de forma crítica e avaliar onde eu desagrado as pessoas ou porquê não desperto nelas nenhum tipo de atração e desejo para poder me corrigir, eu peço aos guias que me arrumem o tão sonhado amor.
Por conta desta atitude pedinte e por serem insaciáveis em seus desejos e necessidades, muitas pessoas acabam se tornando presas fáceis de falsos religiosos , que não praticam religião, mas fazem dela um balcão de negócio.
Estes falsos religiosos prometem transformar em realidade os sonhos e os desejos dos pedintes, que, por sua vez, não medem esforços financeiros para conquistá-los.
Está montada a equação perfeita e o ambiente ideal para a proliferação do ‘’vírus da picaretagem’’:
De um lado, quem tem o poder de enganar, do outro, quem se submete a qualquer coisa para conquistar de forma fácil aquilo que exigiria um grande esforço pessoal para conseguir!
Se os charlatões existem dentro da Umbanda é por conta da existência deste tipo de gente que só pede,pede,pede e prefere sempre o caminho mais fácil, de menor esforço para conquistar o que desejam.
O problema é que quando as coisas não dão certo (e na quase totalidade das vezes não dão mesmo) a culpa é sempre da Umbanda, pior do que isto, todo o povo da religião é colocado dentro do mesmo saco e tidos como desonestos e fraudulentos!
Mas pensar assim é um grande engano.
Felizmente, uma enorme parcela do povo de umbanda é muito sério e pratica a religião de verdade.
Gente ruim e mau caráter existe em todo lugar, em ‘’TODAS’’ religiões e na Umbanda não poderia ser diferente.
Quem sabe um dia as pessoas compreendam o verdadeiro significado de religião e que a umbanda, sem dúvida, é um dos caminhos mais lindos e perfeitos para evoluir o espírito e conviver com o sagrado.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto
Médium x Consulente – Como deve ser este contato

Médium x Consulente – Como deve ser este contato

Como ensinado aqui em nossa casa, os méritos de um trabalho são sempre da entidade comunicante, nós médiuns somos apenas um canal…
Confundir o médium com a entidade é um assunto que vejo com frequência nas listas de bate-papo, nos canais de chat ou até mesmo dentro de muitos terreiros de umbanda.
Isso acontece tanto da parte do médium, quanto da parte do consulente e, cabe a nós, como médiuns, evitarmos ao máximo que isso aconteça exatamente pelo fato de que o médium é apenas um dos canais de comunicação com o mundo espiritual.
O médium é o meio e não o fim.

O Consulente
É muito comum ver esse tipo de confusão sendo feita por muitos consulentes, pessoas que vem aqui no terreiro para conversar com as entidades, pedir conselhos ou apenas ouvir uma palavra de conforto, e por muitas vezes, elas fixam em suas cabeças a imagem do médium (que está com o corpo ali presente) proferindo aquelas palavras de conforto ou recebendo um passe sem sequer notar que quem na verdade está falando (ou deveria estar) é a entidade que está (ou deveria estar) ali trabalhando.
Há casos em que o consulente que esteve presente em alguma sessão no terreiro encontra um médium no meio da rua e resolve, sabe-se lá por qual motivo, pedir-lhe conselhos ali mesmo ou até mesmo contar uma longa história de sua vida, achando que ali, no meio da rua, o médium vai poder lhe ajudar da mesma forma que o ajudou no quando estava em transe mediúnico com seu guia no terreiro.
É de fundamental importância que se tenha consciência que quando você vai a algum terreiro e conversa com uma entidade o médium está ali apenas como um canal de comunicação e não é ele (ou não deveria ser) que está proferindo aquelas palavras e, por mais que você se apegue à imagem do médium, você não estava conversando realmente com ele.
Portanto, se você quer algum conselho, espere até o próximo dia de atendimento e vá até o terreiro para conversar com alguma das entidades, não ache que o médium está sempre com pensamentos positivos o suficiente para lhe dar um bom conselho.
Médiuns são pessoas comuns e, como tal, tem sua vida e seus próprios problemas.
Dentro do terreiro é outra história, ele está ali disposto a deixar seus problemas de lado e permitir que as entidades venham para, quem sabe, resolver os problemas de outras pessoas.

O Médium
Como diz o sábio ditado, “quando um não quer, dois não brigam” e isso é válido também para os médiuns que são abordados por pessoas no meio da rua que pedem insistentemente por algum conselho ou, com a desculpa de “apenas conversar”, tentam conseguir uma consulta fora de hora, em local inapropriado ou até mesmo com assuntos completamente alheios ao conhecimento do médium.
O pior é que em alguns casos, o médium tentando dar uma de bom samaritano, acaba caindo na conversa e começa a dar conselhos e pitacos na vida de uma pessoa e esquece daquele outro velho ditado que diz que “se conselho fosse bom, não se dava, vendia”.
O perigo de sair dando conselho à revelia é que, vai que o conselho que você deu ali na maior das boas intenções acabou por desencadear uma série de acontecimentos que fugiram completamente ao controle tanto do seu “novo amigo” quanto ao seu próprio controle, se é que alguém alguma vez teve qualquer tipo de controle sobre os acontecimentos. Quando acontece algo deste tipo, você acaba manchando o seu nome, o nome do seu terreiro (claro, porque quando acontece algo de ruim a culpa é do terreiro que não presta, mesmo que o conselho não tenha saído diretamente lá de dentro) e, é aí que vem a pior parte, acaba manchando também o nome da entidade pois quando o fulano foi no terreiro, foi aconselhado por determinada entidade e, quando te encontrou no meio da rua e veio lhe pedir conselhos, na verdade estava querendo ouvir um conselho da entidade e vai, sem sombra de dúvidas, achar que é a entidade que a está aconselhando novamente.
Outro grande perigo para os médiuns é quando, em sua cabeça, ele começa a se confundir com a entidade que está ali trabalhando e começa a achar que ele deve interferir no que está sendo dito. Se você é um médium consciente (e imagino que muitos sejam) concentre-se ao máximo possível para que você nunca interfira no que a entidade está falando e se você sentir que algo não está certo ou que a entidade “se afastou” muito de você, é melhor parar a consulta e falar que a entidade foi embora, mesmo que seja no meio de uma conversa, vai ser muito melhor para você e para a pessoa que está ali se consultando. Volte a se concentrar, peça auxílio para o dirigente da casa ou algum outro médium com mais experiência para que a entidade volte e possa continuar a conversa com o consulente ou apenas para que ela (a entidade) fique ali energizando o seu corpo para que haja novamente o equilíbrio. Nunca tente continuar a conversa caso você sinta que a entidade não está mais ali ou “se afastou” muito.
Há também os que acabam desenvolvendo amizade ou contato mais próximo com algum consulente. Não é nenhum crime ter amizade por alguém, acontece que é muito importante, desde o início, que fique bem claro que uma coisa é a entidade dentro do terreiro, outra coisa é o médium, a pessoa que serve de canal para a entidade.
Esse assunto é muito delicado e deve sempre ser tratado com o máximo de seriedade e cuidado.

Qual é o terreiro que você prefere irmão?

Qual é o terreiro que você prefere irmão?

 

Qual é o terreiro que você prefere irmão?
Aquele onde a espiritualidade é cultuada com humildade, simplicidade e discrição, ou aquele onde luxuosos eventos acontecem o tempo todo, lhe colocando sob os holofotes da vaidade?
Aquele que te orienta, ensina, doutrina e educa, ou aquele que apenas te massageia o ego?
Aquele que te impõe limites, ensinando-lhe o caminho adequado ás suas limitações mediúnicas, ou aquele que te permite externar todas as suas invencionices?
Aquele que te conduz ao real aprimoramento espiritual, ou aquele que te incita aos fetichismos vaidosos que vemos em terreiros por aí hoje em dia?
Aquele que te fala sobre humildade, companheirismo e irmandade ou aquele que te ensina o individualismo, egocentrismo e mercantilismo?
Aquele que te ensina á ‘’servir sem olhar á quem’’ ou aquele te ensina á cobrar por seus dons mediúnicos?
Aquele onde você se tornará um verdadeiro e confiável obreiro para a seara espiritual, ou aquele onde você é apenas a estrela que mais brilha aos olhos dos leigos?
Aquele que lhe envolve com a sabedoria necessária ao desenvolvimento mediúnico verdadeiro, ou aquele que permite seu exu usar aquela capa bonita e sua pomba-gira aquele vestido maravilhoso?
Aquele que te corrige, mesmo sabendo da possibilidade de seu abandono, ou aquele que te fideliza por deixá-lo fazer tudo o que quiser?
Aquele que te pune quando você comete um erro, ou aquele que nada faz, pois se preocupa apenas com um médium á mais pagando mensalidade e afins?
Aquele que te cobra mais atuação mediúnica por querer sua evolução, ou aquele que lhe deixa á deriva no aprendizado doutrinário?
Aquele que lhe pede pontualidade no pagamento de sua mensalidade para manter aberta sua casa, ou aquele que lhe cobra altos valores por lindas obrigações, pomposas festas aos seus guias e demais trabalhos pirotécnicos á você?
Aquele onde estará cercado de mais irmãos capacitados ao trabalho espiritual, ou aquele onde você se sentirá o maior, o mais forte, o mais poderoso, o mais desenvolvido?
Aquele onde impera o educativo ‘’NÃO’’ ou aquele que prevalece o traiçoeiro ‘’SIM’’?
Aquele onde o indigesto e reformador ‘’NÃO PODE’’ é utilizado muito mais do que o conivente e prazeroso ‘’PODE’’ ou o vice versa?
Aquele onde todos os valores e ensinamentos visam lhe transformar apenas em um confiável trabalhador mediúnico , ou aquele que lhe ensina á se tornar um excelente profissional da fé e faturar com isso?
E por fim, aquele que lhe ensina á servir a espiritualidade, ou aquele lhe ensina á ser servido por ela?
Estudem, reflitam, leiam mais bons materiais e analisem friamente suas respostas e preferências, afinal se suas escolhas prevaleceram nas segundas opções, deveriam repensar sua permanência em nossa umbanda…

Pai Mario de Ogum

 

 

♫ ♪ Ando na areia olho pro mar ♪ ♫
Ouço a sereia cantando alegre pra mãe Iemanjá
Nas profundezas do mar azul
Arraias bailando, cardumes, corais
Tem mistério e magia, é encanto divino
Os golfinhos brincando, oh que reino tão lindo
E lá na praia pescador chorou ôôô
Sua rede vazia ao ver lamentou
De joelhos faz uma oração
Oh! rainha das águas solução pra minha vida

Eu sou seu filho venha me socorrer ♫
Minha família me espera, a pesca é o sustento pra sobreviver
Iemanjá com seu manto sagrado abençoou
pescador tão feliz pro seu lar voltou, sua pesca foi farta ele comemorou
final feliz de uma história de amor e devoção
de um homem que carrega a fé em seu coração. ♫ ♪

ORAÇÃO AO CABOCLO 7 FLECHAS

ORAÇÃO AO CABOCLO 7 FLECHAS

 

 

Salve Zâmbi, Pai e Criador de todo o Universo! Salve Oxóssi, Rei da Mata e chefe de todos os Caboclos! Salve Seu Sete Flechas e sua falange guerreira!

Sete Flechas, baixai sobre nós um jato da vossa divina luz, iluminando os nossos espíritos para que possamos entrar em comunicação com esta centelha de luz divina que emana das vossas sagradas flechas, defendendo e amparando-nos neste mundo terreno. Salve as sete flechas que vos foi dada, espiritualmente, para defender-nos de todas as provas que não nos vem de Zambi.

Bendito seja Oxóssi que vos o colocou sobre o vosso braço direito a flecha da saúde para que derrame sobre nós os bálsamos curadores; bendito seja Ogum, que colocou sobre vosso braço esquerdo a flecha da defesa para que sejamos defendidos de todas as maldades materiais e espirituais; bendito seja Xangô que vos cruzou uma flecha em vosso peito para defender-nos das injustiças da humanidade; bendita seja a grande Mãe Yemanjá que colocou uma flecha em vossas costas para defender-nos das traições de nossos inimigos.

Bendito seja Oxalá que vos colocou uma flecha sobre vossa perna direita para cobrir os nossos caminhos materiais e a senda da espiritualidade, bendita seja as Santas Almas que vos botou uma flecha sobre vossa perna esquerda, para lavar os nossos caminhos, iluminando os nossos espíritos e defendendo-nos de todas as forças contrárias à vontade de Deus. Bendito seja os Ibejis que entregaram em vossas sagradas mãos a flecha do astral superior, para dar à humanidade a divina força da fé e da verdade. Zâmbi foi quem ordenou, os Orixás as flechas vos entregou. Com as forças das sete flechas, Seu Sete Flechas me abençoou.